Crowdbusiness

punto.a.ponto - TECENDO REDES - Atualizada em 30 outubro 2012

Chicago, Illinois, United States
Sala de cocriação

punto.a.ponto (em SP, não em Chicago...)

É isso ai. Apresento a marca comercial do projeto TECENDO REDES. Com os 7mil reais recebidos do Festival de Ideias comprei 7 livros, 20 quilos de lãs 100% naturais no Uruguai, na Argentina e no Brasil, recrutei 22 tricoteiras e atualmente 11 delas (de 4 estados do Brasil) estão fazendo três modelos diferentes de peças com fragmentos desenhados de kilim turcos e rosas chinesas. São mulheres aventureiras e criativas, que gostam de correr riscos, que adoram aprender coisas novas, e que querem crescer em cultura e bem estar. O site está em construção, as fotos do catálogo serão feitas pelo Ormuzd logo mais, e o MVP será testar a loja online e a receptividade dos modelos. Grande ansiedade, e muita gratidão a todos os que se envolveram com a ideia e me ajudaram a enxergar num sonho uma realidade possível.

“CHEGARÁ UM DIA EM QUE TUDO O QUE VESTIRMOS TERÁ SUA HISTÓRIA” (em inglês ao final)

Sonho: Empreender um negócio de venda de roupas de tricô de lã, cujo design integre fragmentos de várias culturas e diferentes épocas, com materiais 100% naturais (lã, algodão, alpaca, mohair, cashmere) ou reciclados, realizados por grupos de mulheres latino-americanas, que precisem aumentar sua renda. Facilitar os canais de venda e o circuito de comercialização para que elas possam obter e aumentar seus ganhos.

Fora a confecção manual das peças, realizar TODOS os demais processos do negócio (menos distribuição - até que funcione o tele-transporte...) utilizando as tecnologias de rede disponíveis: co-criação, design, educação à distância, crowdbusiness, comercialização, logística, marketing, venda on-line, pagamento a fornecedores, etc...(se possível integrados numa única plataforma)

Propósito: Aproximar mulheres de várias comunidades latino-americanas que façam tricô, colocando-as em contato com outras culturas de outras regiões, e com os saberes de outros grupos. Podem ser minorias pobres ou privadas de algumas liberdades, como idosas abrigadas em asilos, na prisão, etc.

Contribuir para ampliar o horizonte cultural destas mulheres, apresentando a interação possível da sua própria cultura com aquelas distantes -em tempo e lugar-, através da criação de peças que carreguem esses sentidos.

Promover a criação de laços entre as participantes próximas e distantes, disponibilizando plataformas tecnológicas para comunicação da rede resultante.

Aprenderemos com o que acontecer. Mudaremos de rumo? Descobriremos outras ideias parecidas? Aberto a improvisações criativas sobre o tema. Obrigada pelas contribuições!

PLANEJANDO...

Produto inicial: Cardigans de tricô (lãs e linhas) para mulheres e para crianças de 4 a 10 anos.

Mercado: Mulheres de todas as idades, sensíveis às questões do consumo consciente, sustentabilidade, comércio justo, com poder aquisitivo de médio para alto, de mercados no mundo todo que valorizem o “feito a mão” e a “peça única” carregando a força das culturas.

Estratégia: Identificar junto a Redes e ONGs que lidam com artesanato no continente pessoas que adiram ao projeto como Facilitadoras locais. Formar grupos de tecedoras que receberão o material, as instruções e os desenhos, e participarão via internet de apresentação dos modelos, para entender suas origens e poder contribuir com seus saberes na formatação da peça final. Conversas sobre os próprios saberes dentro de cada grupo, e com os demais de forma virtual, com webinars para todas em real time -ou não- Cursos virtuais (assincrônicos) com conceitos, arte, cultura e melhoria das técnicas. Biblioteca de saberes on line. Biblioteca de imagens. Venda on-line

Planejamento de meta mínima: No primeiro ano se formariam até 8 a 10 grupos de 5 a 6 pessoas cada um, em operação, fabricando algo em torno de 400 peças por mês ao todo após os seis primeiros meses de integração, amostras, testes, etc.

Os esforços serão realizados para a venda de 80% da produção (ficando um 20% de estoque para emergências sazonais ou pedidos múltiplos de lojas)

Branding: a co-criar. Por enquanto está ganhando TRAMAS. Outras opções para a marca seriam PONTOS, Sur, Tramas e Cores, Colores, Suerte, Fractals, Fragmentos.

COLOCANDO EM PRÁTICA...

A-CRIAÇÃO Pesquisa: sobre motivos étnicos, provenientes especialmente de tapetes, tecidos estampados, bordados, de todas as épocas. Via Internet. Criação: realização de desenhos influenciados pela pesquisa, com mistura de elementos de várias culturas. Multiculturalismo? "Hypercultural wearable art"? (que torne visível e concreto o conceito da interação das culturas mediante a arte e seus signos e significados, facilitados hoje pela globalização). Design: transposição dos desenhos a modelos de peças de tricô e transformação em receitas para sua confecção.

B-PRODUÇÃO: Matéria Prima: identificação de fornecedores de materiais naturais fabricados de forma sustentável. Compra on-line, entrega descentralizada, nos grupos. Confecção: TECNOLOGIAS têxteis do saber tradicional + novas tecnologias. (Tingimentos menos poluentes, menos água, etc.) Princípios do Fair Trade e Slow fashion. Identificação de tricoteiras e formação de grupos de mulheres nucleados por uma “facilitadora”. Realização de peças piloto. Ajustes. Sistematização processos. Difusão de receitas para os grupos.

C-COMERCIALIZAÇÃO Tudo virtual, porque sustentável, rápido, custos baixos, não desperdício, possibilidade de co-criação e co-participação. Aproveitando todos os apps free-share/ou de baixíssimo custo.

E-MKTG: AdWorks, Facebook adds, etc. E-commerce: Etsy, Botica, Craftsy, etc. E-Payment: PayPal, Pague Seguro, etc.

(Cada peça de roupa terá uma "Etiqueta Virtual com sua história". Será um album de fotos on line do processo da sua produção, da tecedora, detalhes e comentários. Depois que o comprador receber a peça poderá subir fotos dele vestindo-a e anexar seus próprios comentários).


Estratégia alternativa, ou concomitante: Oferecer o projeto a empresas cujos programas de voluntariado ou investimento social trabalhem com comunidades de artesãos, com os grupos de voluntários assumindo a tarefa de facilitadores, para gerar renda local com qualidade. Elas podem circunscrever a ação às localidades onde já atuam, promovendo com o tempo um verdadeiro desenvolvimento local, que permanecerá ativo mesmo quando a empresa deslocar/ampliar o seu apoio inicial (seed money) para outras comunidades.

Oportunidades voluntárias: - ajudar a co-criar o projeto de acordo com as particularidades locais. identificar produtoras de matérias primas próximas do local. organizar e/ou facilitar os workshops, os webinars ou o acompanhamento para ensinar técnicas de tricot ou tecelagem com qualidade nas localidades; - facilitar/conseguir empréstimo/parceria de equipamentos (computador + TV) para poder promover a assistência aos Webinars in loco;


English quick pitch: Who are we? "WE ARE WHAT WE MAKE" Our passion is connecting people, broading horizons, growing continuously through the art of fibers, colors, meaning and symbols of various civilizations.

What will we do? We’ll produce and sell wearable art - knitted women’s wear. Hyper cultural designs, mixing references of several cultures. Latin American artisans looking to global realities, learning and resignifying codes, their own and others', rediscovering their worth and values.

Slogan: “There is a day to come when all clothes will carry their own history - each one will tell a unique story.”

Why? Because we believe in “global” as an expanded view of many locals, no longer a dichotomy or a threat to the native, original and authentic. We see “global” as much more about openness and learning possibilities. Because being global today is to inspire everything and expire unique, mixed sounds, mixed colors, feelings and senses, our designs are - Chinese Kilim, Andean Art Nouveau, Baroque Inuit, Bulgar Fair Isle, Poncho Jap, Caribbean Hindi, and so on.

I believe in more culture for everybody. More resources for many. More connection with the origins. More experience with earth, wind and fire. More handwork. More conversation. More contact. More relationships with nature, raw resources. More purpose in life.

Our Goals? First year: To broaden the cultural horizons and technical skills of at least 50 Latin American artisans. To increase revenues through sales of 8 pieces each.

Second year: To sell a total of 600 pieces. To formulate co-ops or other similar productive cohorts.

Third year on: To solidify the autonomy of this productive groups, including independent production, marketing, and sales.

Gostou desta ideia? Talvez você curta estas também =)

  1. Multicultura

    Iniciada por Mateus Marques Tozelli

    MULTICULTURA Ensino Fundamental para Adultos Tudo ao mesmo tempo agora Diversidade e singularidades para o desenvolvimento de pessoas, comunidades e organizações. Contexto O co...

    Redes de AprendizagemRedes de Aprendizagem
    • 3
  2. Centro de Convergência de Valor (CCV) - ed. 2.0 pós-festival

    Iniciada por André Silva

    EDIÇÃO 2.0 - pós Festival de Ideias 2012 - Esta proposta refere-se a criar um Centro de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) para Micro e Pequenas empresas dispostas em Rede Organiz...

    Redes de AprendizagemRedes de Aprendizagem
    • 3
  3. T.R.A.M.P.O. S/A

    Iniciada por Fabio Kontopp

    **INTRODUÇÃO** A T.R.A.M.P.O. S/A tem como objetivo criar um network on line entre os profissionais da área de eventos coorporativos, autointitulados “free lancer’s” e as agê...

    Redes de AprendizagemRedes de Aprendizagem
    • 5
Gostou

Colabore com referências e mais informações para o desenvolvimento desta ideia. Ajude a elaborar as necessidades e próximos passos!

Você precisa fazer login para poder colaborar.

Picture?type=square
Publicada há mais de 1 ano

Precisa de Dicas pra sua ideia decolar?

http://festivaldeideias.org.br/ideias/5-redes-de-aprendizagem/ideia/724-toro-de-ideias-dicas-para-os-criativos-do-fdi

Responder
Picture?type=square
Publicada há mais de 1 ano

Aos criativos selecionados na primeira fase do Fdi um convite:

http://festivaldeideias.org.br/ideias/5-redes-de-aprendizagem/ideia/724-toro-de-ideias-dicas-para-os-criativos-do-fdi

Responder
Picture?type=square
Publicada há mais de 1 ano

Pessoal, compartilhando as oportunidades, mais uma iniciativa de crowdfunding

inscrições até 31/08

http://movimentohotspot.com/

Responder
Picture?type=square
Publicada há quase 2 anos

usei esse é o modelo de plano de negócios sociais

1- Descrição geral da ideia

2- Modelo de negócio (vai ser uma ONG? Um negócio social? Uma empresa?)

Vantagens (quais são as vantagens desse modelo de negócio escolhido?): Vantagens para quem investir Vantagens para os beneficiários Vantagens para o negócio

3- Missão, Valores e Princípios

4- Objetivos (quais são os objetivos q queremos alcançar?) Objetivos Econômicos: Objetivos Sociais: Objetivos Ambientais:

5- Serviços Oferecidos (oq vamos oferecer?)

6- Análise de Fatores (Diagnóstico preliminar)
a) Tendências – (oq esta acontecendo neste área hoje? Existe espaço para crescer?)
b) Público Alvo – (quem serão nossos clientes/beneficiários?)
c) Concorrência – (existe concorrência?)
d) Parcerias – (quais são as possíveis parcerias?)

7- Organização (Como vamos funcionar?)
a) Equipe de trabalho - (quantos vão trabalhar diretamente na ideia e quais suas funções?)
b) Conselho Diretor - (quem vai mandar? a coordenação pode ser compartilhada?)
c) Plano Operacional – (a ser construído)
d) Localização geográfica – (onde será a sede? E pq?)
e) Instalações e equipamentos – (oq precisaremos para funcionar?)

8- Plano de Ação/Cronograma (quais serão as ações do primeiro ano de vida da ideia? No 1º. e 2º. Semestres?)

9- Questões legais e de regulamentação (a ideia tem embasamento legal? Ou seja pode ser feita no Brasil seguindo as normas vigentes?)

10- Análise Financeira
a) Estimativa de Investimento:
b) Estimativa de custos fixos:
c) Estimativa de custos variáveis:
d) Fonte de recursos:
e) Retorno do investimento:
f) Meta financeira:

11- Riscos e desafios (quais são os principais problemas q a ideia vai enfrentar para ser executável?)

12- Referências (onde fomos buscar as informações utilizadas neste plano?)

Responder
Picture?type=square
Publicada há quase 2 anos

Belissimo Projeto !!!!! Quem sabe ? Tear manual construído com as próprias mãos? Tenho uma receita criada por minhas próprias mãos, estilo, educação ambiental criativa e coloborativa ;) ♥ <3 <3 O Projeto Ipê tem uma área voltada para projetos de voluntariado http://www.ipe.org.br/corporativo-geral/a-unidade-de-negocios-sustentaveis-uns ... Entre em contato com a Gerente : Andrea Imperador Peçanha Travassos que eu acho que pode dar Samba ;)
http://www.ipe.org.br/

Responder
Picture?type=square
Publicada há quase 2 anos

Se vocês estiverem em Porto Alegre no próximo sábado dia 30/06 apareçam na cocriação presencial que acontecerá na Rua Liberdade, 553 Bairro Rio Branco - Porto Alegre das 14-19hs, mais uma oportunidade de continuar com a ideia :)

Responder
Picture?type=square
Publicada há quase 2 anos

Monica,

gostaria de colaborar com sua ideia e q vc colaborasse com a minha:

http://festivaldeideias.org.br/ideias/4-crowdbusiness/ideia/382-ponto-social

oq vc acha? topa?

Responder
Picture?type=square
Publicada há quase 2 anos

Ótimo. Pode passar, tenho algum traquejo em projetos, tenho dado aulas sobre formatação de projetos desde há mais de 15 anos. Minha filosofia é "Para quê? E daí?" - Sempre faça-se essa pergunta PARA QUÊ? quando formula um objetivo: somente quando não tiver resposta, chegou ao objetivo certo...O E DAÍ? é depois, para fazer sobre os resultados obtidos. Continuamos...

Responder
Picture?type=square
Publicada há quase 2 anos

Li sua colaboração, interessante a questão sobre os objetivos
vou fazer assim, vou aceitar suas sugestões e depois vou dar uma mexida
tenho algumas dúvidas q vou detalhar melhor, depois te passo
moro em Criciúma/SC, vou tentar participar de uma cocriação presencial em julho

Responder
Picture?type=square
Publicada há quase 2 anos

Poxa, você acredita que não vi esta sua mensagem? Desculpe. E veja que coincidência! acabo de entrar no meu projeto para pegar o link, para colar no seu, onde fiz algumas colaborações com relação à formulação de objetivos. Incrível! continuemos em contato.

Responder
Picture?type=square
Publicada há quase 2 anos

Monica, que projeto lindo!!
Poderemos tecer juntas nossos propósitos pois acredito que existam grupos de mulheres que trabalham com tricot no assentamento Reunidas.... se não houver, podemos implementar... pois minha madrinha é expert no assunto e poderá me ajudar muito neste trabalho!
Grande abraço!

Responder
Picture?type=square
Publicada há quase 2 anos

Ju, você conversou com a sua madrinha? e se nos colocasses em contato? sou mbg1951 no Skype e monica@iniciativabrasil.com.br. Bjs.

Responder
Picture?type=square
Publicada há quase 2 anos

Fica ai uma sugestão de vídeo sobre o Design da América Latina... abraço!!!

Responder
Picture?type=square
Publicada há quase 2 anos

Oi Monica... quem sabe um dia! posso garantir que os cursos são ótimos! =D
Nos encontramos nas cocriações desta semana... abraço

Responder
Picture?type=square
Publicada há quase 2 anos

Não, é que vi no teu perfil, achei fantastico! adoraria fazer alguns cursos lá, quem sabe un dia destes? Obrigada pelo apoio. Vamos conversando, por favor. Abçs.

Responder
Picture?type=square
Publicada há quase 2 anos

Olá Monica... o Instituto ORBITATO fica em Pomerode sim! Você conhece? abraço

Responder
Picture?type=square
Publicada há quase 2 anos

O Orbitato é em Pomerode?

Responder
Picture?type=square
Publicada há quase 2 anos

Podes, claro...

Responder
Picture?type=square
Publicada há quase 2 anos

Mais isso é fantástico! odes me escrever a monica at iniciativabrasil.com.br

Responder
Picture?type=square
Publicada há quase 2 anos

“CHEGARÁ UM DIA EM QUE TUDO O QUE VESTIRMOS TERÁ SUA HISTÓRIA”

BOM, como não sei como editar o meu próprio texto lá encima, posto aqui minha terceira formatação do projeto.

TECENDO REDES, (ex Mini-ateliers em Rede). Versão 2.1.

Graças a co-criação presencial e aos MUITO valiosos inputs de Oswaldo, Cláudia e Camila, além de Theresa, Bete e Eva, a quem agradeço, segue projeto mais próximo da concretude. (O que preciso agora é conhecer algum programa gráfico que me permita trocar as cores e fazer provas de desenho na tela. Alguém conhece? E tbm preciso ajuda para o Branding. Obrigada a quem puder colaborar nisso).

SONHO:
Empreender um negócio de venda de roupas de tricô de lã, cujo design integre fragmentos de várias culturas e diferentes épocas, com materiais 100% naturais (lã, algodão, alpaca, mohair, cashmere) ou reciclados, realizados por grupos de mulheres latino-americanas, que precisem aumentar sua renda. Facilitar os canais de venda e o circuito de comercialização para que elas possam obter e aumentar seus ganhos.

Fora a confecção manual das peças, realizar TODOS os demais processos do negócio (menos distribuição - até que funcione o tele-transporte...) utilizando as tecnologias de rede disponíveis: co-criação, design, educação à distância, crowdbusiness, comercialização, logística, marketing, venda on-line, pagamento a fornecedores, etc...(se possível integrados numa plataforma, como a do Junntoo)

PROPÓSITO:
Aproximar mulheres de várias comunidades latino-americanas que façam tricô, colocando-as em contato com outras culturas de outras regiões, e com os saberes de outros grupos. Podem ser minorias pobres ou privadas de algumas liberdades, como idosas abrigadas em asilos, na prisão, etc.

Contribuir para ampliar o horizonte cultural destas mulheres, apresentando a interação possível da sua própria cultura com aquelas distantes -em tempo e lugar-, através da criação de peças que carreguem esses sentidos.

Promover a criação de laços entre as participantes próximas e distantes, disponibilizando plataformas tecnológicas para comunicação da rede resultante.

Aprenderemos com o que acontecer. Mudaremos de rumo? Descobriremos outras ideias parecidas? Aberto a improvisações criativas sobre o tema. Obrigada pelas contribuições!

PLANEJANDO...
Produto inicial:
Cardigans de tricô (lãs e linhas) para mulheres e para crianças de 4 a 10 anos.

Mercado:
Mulheres de todas as idades, sensíveis às questões do consumo consciente, sustentabilidade, comércio justo, com poder aquisitivo de médio para alto, de mercados no mundo todo que valorizem o “feito a mão” e a “peça única” carregando a força das culturas.

Estratégia:
Identificar junto a Redes e ONGs que lidam com artesanato no continente pessoas que adiram ao projeto como Facilitadoras locais.
Formar grupos de tecedoras que receberão o material, as instruções e os desenhos, e participarão via internet de apresentação dos modelos, para entender suas origens e poder contribuir com seus saberes na formatação da peça final.
Conversas sobre os próprios saberes dentro de cada grupo, e com os demais de forma virtual, com webinars para todas em real time -ou não-
Cursos virtuais (assincrônicos) com conceitos, arte, cultura e melhoria das técnicas.
Biblioteca de saberes on line.
Biblioteca de imagens.
Venda on-line

Planejamento de meta mínima: No primeiro ano se formariam até 8 a 10 grupos de 5 a 6 pessoas cada um, em operação, fabricando algo em torno de 400 peças por mês ao todo após os seis primeiros meses de integração, amostras, testes, etc.
Os esforços serão realizados para a venda de 80% da produção (ficando um 20% de estoque para emergências sazonais ou pedidos múltiplos de lojas)

Branding: a co-criar

COLOCANDO EM PRÁTICA...

A-CRIAÇÃO
Pesquisa: sobre motivos étnicos, provenientes especialmente de tapetes, tecidos estampados, bordados, de todas as épocas. Via Internet.
Criação: realização de desenhos influenciados pela pesquisa, com mistura de elementos de várias culturas. Multiculturalismo? "Hypercultural wearable art"? (que torne visível e concreto o conceito da interação das culturas mediante a arte e seus signos e significados, facilitados hoje pela globalização).
Design: transposição dos desenhos a modelos de peças de tricô e transformação em receitas para sua confecção.

B-PRODUÇÃO:
Matéria Prima: identificação de fornecedores de materiais naturais fabricados de forma sustentável. Compra on-line, entrega descentralizada, nos grupos.
Confecção:
TECNOLOGIAS têxteis do saber tradicional + novas tecnologias. (Tingimentos menos poluentes, menos água, etc.)
Princípios do Fair Trade e Slow fashion.
Identificação de tricoteiras e formação de grupos de mulheres nucleados por uma “facilitadora”.
Realização de peças piloto. Ajustes. Sistematização processos. Difusão de receitas para os grupos.

C-COMERCIALIZAÇÃO
Tudo virtual, porque sustentável, rápido, custos baixos, não desperdício, possibilidade de co-criação e co-participação. Aproveitando todos os apps free-share/ou de baixíssimo custo.

E-MKTG: AdWorks, Facebook adds, etc.
E-commerce: Etsy, Botica, Craftsy, etc.
E-Payment: PayPal, Pague Seguro, etc.

Parte do lucro inicialmente para o projeto de educação de Born-to-Learn, na Tanzânia. (...porque interessa cruzar o oceano e colocar em contato concretamente os saberes diferentes; pensar quantos desdobramentos possíveis entre "comunidades irmãs").

----------------------------------------------------

Estratégia alternativa, ou concomitante:
Oferecer o projeto a empresas cujos programas de voluntariado ou investimento social trabalhem com comunidades de artesãos, com os grupos de voluntários assumindo a tarefa de facilitadores, para gerar renda local com qualidade. Elas podem circunscrever a ação às localidades onde já atuam, promovendo com o tempo um verdadeiro desenvolvimento local, que permanecerá ativo mesmo quando a empresa deslocar/ampliar o seu apoio inicial (seed money) para outras comunidades.

Oportunidades voluntárias:
- ajudar a co-criar o projeto de acordo com as particularidades locais.
identificar produtoras de matérias primas próximas do local.
organizar e/ou facilitar os workshops, os webinars ou o acompanhamento para ensinar técnicas de tricot ou tecelagem com qualidade nas localidades;
- facilitar/conseguir empréstimo/parceria de equipamentos (computador + TV) para poder promover a assistência aos Webinars in loco;
- outras opções que poderão surgir...

-------------------

Responder
Picture?type=square
Publicada há quase 2 anos

Obrigada. Acho que está indo, não?

Responder
Picture?type=square
Publicada há quase 2 anos

Monica! Como cresceu esse seu projeto!

Responder
Picture?type=square
Publicada há quase 2 anos

Monica Beatriz Galiano, acho que o Leonardo Brasil pode esclarecer tuas dúvidas sobre a criação do site. Olha o site dele: http://www.leobr.com.br/oferecemos/

Responder
Picture?type=square
Publicada há quase 2 anos

Hoje é o primeiro contato com o grupo de mulheres da comunidade em Viamão, POA. E hoje teremos na mão as primeiras lãs fiadas no RS mesmo, sem tingimento, provenientes de ovelhas negras, brancas e mescladas. Não é o máximo? (Vocês sabiam que assim que as ovelhas vão envelhecendo a lã fica mais clara?)

Responder
Picture?type=square
Publicada há quase 2 anos

@Sandra Spampinato UAU! Claro que te mando. Estaba por escribirte porque veo que marcás cosas lindas en el face. Gracias...

Responder
Picture?type=square
Publicada há quase 2 anos

Moni!!! podes enviarme el proyecto en castellano???? porque no termino de entender los detalles. Tengo una compañeras que trabaja con artesanas tejedoras de todo el país, tal vez te interese el contacto. Besoooooooo

Responder
Picture?type=square
Publicada há quase 2 anos

Preciso saber como será feito o pagamento para as tricoteira, normalmente é trabalho informal e não passam recibo.

Responder
Picture?type=square
Publicada há quase 2 anos

Em São Paulo, temos a Sutaco .... Superintendência do Trabalho Artesanal nas Comunidades quem sabe ai na sua Região não exista algo parecido ? http://www.sutaco.com.br/vitrine/vitrine.html

Responder